Compromisso, verdade
humildade e cidadania

home logo
MauroZacher 370

“Bullying” não possui tradução em língua portuguesa. A expressão deriva de “bully” (valentão, brigão). Denota um tipo especial de violência muito comum nas interações entre pares, especialmente entre crianças e adolescentes nas escolas. Consiste na imposição de violência física ou psicológica, de forma repetida, sem motivação aparente, em relações de desequilíbrio de poder. Para combater essa prática, a saída é a utilização do próprio sistema educacional com o envolvimento de toda a comunidade escolar.

É bom esclarecer que uma briga eventual ou práticas isoladas de violência não constituem bullying. Para que o fenômeno se verifique é preciso que as vítimas sejam “selecionadas” pelos agressores, que passam, então, a infernizar suas vidas com a repetição das agressões ou das condutas que lhes impõe sofrimento físico ou psíquico.

Em todo o mundo, as preocupações com o fenômeno já são bastante fortes há cerca de 30 anos. No Brasil, o assunto vem ganhando importância gradativa, amplificada agora pela abordagem do tema em horário nobre da televisão, na novela das oito que tem, em seu mix de personagens um jovem brigão. Antes disso, o jornal Zero Hora já havia abordado o bullyng em reportagem especial e, pelo agravamento das relações entre alunos e também com professores, voltou a produzir excelente material sobre o assunto.

Para comprovarmos isso, basta acessarmos sites de busca na internet e digitar a expressão bullyng. Somente nas ocorrências em língua portuguesa, são 3.860 aparições referentes ao tema. Se ampliarmos a busca para a web como um todo este número sobe para 30.000 links em que a expressão é destacada.

Assim, projetar o tema em horário nobre faz, sem dúvida, com que o assunto se torne objeto do diálogo entre a população. Esse fato faz, talvez, com este seja o melhor momento para que os poderes públicos despertem o seu olhar também para ações capazes reduzir a intensidade da prática do bullyng, aprofundando estudos e propondo políticas dirigidas ao tema.

É por conta disto, que no dia 23 de março, protocolei um projeto de lei que estabelece uma proposta que prevê instrumentos, se não capazes de evitá-lo, para ao menos reduzir a sua intensidade em todos os locais onde é praticado. Espero, ao abrir esse debate no Legislativo, que a matéria possa ser aperfeiçoada e aprovada, colocando a Porto Alegre em posição de destaque no tratamento do bullyng como uma questão de interesse público.

Você está navegando em :: Artigos e Discursos

Comente este conteúdo:

Redes Sociais

Redes Sociais FacebookRedes Sociais twitterRedes Sociais InstagranRedes Sociais emailRedes Sociais youtube

Ponto de Vista

Você é a favor ou contra o cercamento da Redenção ?
  • 1583 Votos
    Contra
    55.64%
  • 1262 Votos
    Favorável
    44.36%
← Votar
Total 2845 Votos

Pesquisa